Archive for abril 10, 2008

Rosas e Espinhos

 No último dia 26, tive a felicidade de participar, no Clube Atlético Juventus, da cerimônia de entrega do certificado de conclusão do curso de Pedagogia da Universidade São Judas Tadeu. Foi maravilhoso rever amigos e professores. Quanto ao certificado, só aqueles que conhecem a minha história de luta para chegar até aqui, é que são capazes de entender o significado que ele tem para mim. Por outro lado, trazia naquele dia uma certa tristeza, pois na mesma semana havia perdido minha mãe. A morte, ainda que esperada, ou até desejada, não é muito fácil de ser encarada. Digo desejada, como no caso de minha mãe, porque ela sofria há mais de dez anos em uma cama, e nos últimos meses sua vida era como uma vela de chama bem fraquinha, e cada vez que o vento soprava ,nos causava uma angústia, nos levando a pensar se seria desta vez , ou não que a vela iria se apagar. Até que um dia a vela se apagou de vez, dando fim ao seu sofrimento e de toda a  família. Esteja aonde estiver, sei que ela deve estar muito orgulhosa por eu ter me formado professora e  poder ajudar   muitas pessoas a sair da  triste condição de analfabetismo.  Condição esta que conheceu e que a fez passar por muitos constrangimentos durante o decorrer de sua vida. 

Obrigada mamãe por todo amor e dedicaçção e por ter sido a fonte inspiradora que me fortaleceu nas horas dificeis desta  minha grande caminhada. 

Quando eu não mais existir…

 Quando eu não mais existir, procura-me nas flores, e eu serei o  perfume que delas exala.

Quando eu não mais existir, procura-me no amanhecer, e eu serei o sol que  nasce para aquecer a sua pele.

Quando eu não mais existir, procura-me  nas noites frias e eu serei o brisa que sopra seus cabelos.

Quando eu não mais existir, procura-me nas estrelas e eu serei  uma delas a brilhar,  iluminando teus caminhos.

Quando eu não mais existir, procura-me na chuva e eu serei os pingos a molhar  seu rosto.

Qunando eu não mais existir, procura-me no oceano e eu serei as ondas a  te fortalecer , dizendo como é infinito o meu amor por você.

poema para minha mãe——n.21/05/1928——f 20/03/2008 

Ana Granado

Anúncios

Comments (2) »