Archive for abril, 2008

Sala de educadores, o retorno

Olá amigos blogueiros apaixonados pela educação.

As férias foram ótimas, mas chega de preguiça e vamos ao trabalho. No mês de março já aconteceu o primeiro encontro do ano, na sala de educadores, no senac da Penha.  Com o sociólogo, Alberto Carlos Almeida, discutimos: educação , ética, preconceito e racismo. Os temas estão contidos em seu livro: ‘A cabeça do Brasileiro”, muito bom por sinal.

Me fez recordar as aulas  de sociologia do professor Jarbas. Aliás quase todas as discussões na sala de educadores tem tudo a ver com o que discutimos na Universidade São Judas Tadeu.

Vale a pena participar. 

É apenas um sábado por mês e é de graça.

O próximo encontro será no dia 26 de abril

Entre no site do Senac e veja o calendário dos encontros clicando na imagem:

Quer participar? Ligue para o Senac Penha: tel (11) 2135-0300 Fax  (11) 2135-0398

Comments (2) »

Sala de Educadores dia 26/04/2008…

Olá amigos!

No sabádo dia 26 estive em mais um evento realizado no SENAC São Paulo na unidade da Penha. O sala de Educadores é direcionado a todos aqueles que se interessam por assuntos relacionados a educação. É o segundo ano que participo e tenho aprendido muito nestes encontros. O evento é muito bem organizado. Somos recebidos com uma linda mesa de café, com bolos doces, sucos e frutas. Os palestrantes são sempre de primeiríssima qualidade e as palestra são abertas para discussões, dando a oportunidade de interação do publico com o palestrante. Além disso ainda recebemos uma declaração de participação para acrescentar ao nosso currículo.

E tudo de graça!.

Realmente, na área da educação só fica desatualizado quem quer.

Ana Granado

Leave a comment »

Parabéns Planeta Terra!

No dia 22 de abril comemora-se o Dia da Terra. A data foi criada em 1970 pelo senador norte-americano Gaylord Nelson e representou o primeiro protesto nacional contra a poluição. Trinta e oito anos depois, vivemos o temor do aquecimento global e suas conseqüências para a vida no planeta.

Mas, você já pensou se a sua rotina afeta a nossa maior moradia: O Planeta Terra?

Segundo relatórios do EPA, Agência de Proteção Ambiental norte-americana e da California Comparative Risk Project, o consumo insustentável é apontado como um dos responsáveis por esse superaquecimento. A maior parte de nossas atividades diárias leva, direta ou indiretamente, à emissão de gás carbônico (CO2) na atmosfera.

Um motor de carro mal cuidado, por exemplo, consome 50% mais combustível e produz 50% a mais de CO2.  Utilizar veículos movidos a álcool ou biocombustíveis reduz em 500 Kg ou mais a sua emissão anual do gás. Os cuidados dentro de casa também são bem-vindos. Trocar lâmpadas incandescentes por fluorescentes, por exemplo, é uma ótima prática.

Nesse dia da Terra queremos alertar você a se preocupar com suas atitudes em relação ao planeta que nos habita.

Devemos ter em mente que não somos os únicos e os últimos habitantes. Devemos preservá-lo para as próximas gerações!

Clique na imagem abaixo e veja que no trabalho, na escola, no carro e em casa podemos fazer a nossa parte e contribuir para a saúde do nosso planeta! 

 

(22/04/2008 – Fontes: sites Iniciativa Verde e Faces do Brasil)

Clique nas imagens abaixo, viaje nas imagens e veja o quanto vale a pena cuidar de cada pedacinho do nosso planeta:

Agora que sabe como fazer a sua parte, compartilhe com os amigos, familiares e contribua para a saúde do nosso Planeta!

Comments (14) »

Imoralidade

Certo dia fui repreendida por uma amiga, super conservadora, ao afirmar que sentia um orgasmo toda vez que descia do ônibus “expresso 3141,  linha Parque D. Pedro II – terminal São Mateus.

– você não deveria falar esta palavra imoral!  – disse ela.

-Imoral? Imoral é a condição dos usuários do transporte coletivo desta cidade. Respondi eu.

– Principalmente os que se utilizam desta linha.

– Todos os dias, ao sair da Universidade, por 40 minutos, tempo maior que o do trajeto a percorrer entre a escola e minha residência (30 minutos), eu e uma multidão de alunos esperamos pelo bendito ônibus, que mesmo antes de chegar ao ponto, ainda no farol, é invadido pelos estudantes que depois de um árduo dia de trabalho, enfrentaram as aulas e agora anseiam por um merecido descanso em seus lares. Devido ao longo espaço  de tempo entre um carro e outro, eles estáo sempre lotados. A maioria das pessoas estão  mal humoradas, irritadas, e fazem de qualquer esbarrãozinho motivo de discussão. Como é impossivel  não se esbarrar em alguém  num ônibus lotado como aquele, quase todos os dias acontecem discussões, sendo que muitas vezes o motorista é obrigado a levar todos para a delegacia, o que além de desagradável acaba atrasando a nossa fatigante jornada.  

Dos muitos fatos que presenciei no mencionado meio de transporte, tendo como testemunha, os usuários e suas sacas de cebola, batata, milho, limão, e outros produtos,  sobras do que foi levado para ser vendido no centro da cidade, um dos mais marcantes é o que vou contar agora.

Quando entrei no ônibus percebi que o motorista discutia com uma senhora maltrapilha, aperentemente carente,  dotada de poucos recursos financeiros. Ele pedia que ela descesse do veículo uma vez que já havia feito mesmo a sujeira.  A senhora humildemente obedeceu. Os comentários que corriam dentro do ônibus, eram de que a senhora, acometida por uma forte diarréia, pediu que o motorista parasse fora do ponto para que ela pudesse descer e encontrar algum estabelecimento que disponibilizasse de um banheiro , no qual ela pudesse aliviar o seu lado. Porém o motorista, devido  ao risco de acidente e outras implicações que teria ao parar no meio de um trânsito tão complicado, não acatou o pedido da pobre senhora, que não resistindo mais, soltou tudo que tinha direito, ali mesmo, no banco de passageiros. Mesmo com um cheiro insuportável ,a cada parada, subiam os usuários, se empurrando, disputando o tão almejado banco vago para dele se apropriar. . E então, antes que o fato fosse consumado, a galera gritava: – Cuidado, não senta, melô, tá sujo. E todos caiam na maior gargalhada. Foi esta palhaçada a viagem inteira . Eu ri tanto neste dia que por pouco não repetia a façanha da protagonista da história.  

Esta história não é menos cômica que a situação que  vivemos  diariamente no trânsito de nossa cidade.  Faço uso dela, não só para diversão, mas também para reflexão.

Você já parou para pensar porque os meios de tranportes desta cidade são tão precários?

Porque a venda de automóveis crescem a cada dia?

O que é mais valorizado: o bem estar dos usuários ou os altos impostos pagos pelos fabricantes e proprietários dos veiculos?

O que podemos fazer para amenizar estes problemas? 

Envie seus comentários e sugestões para que juntos possamos encontrar soluções e quem sabe ajudar a cidade de São Paulo enfrentar os problemas das más condições de transporte público, trânsito e desrespeito ao cidadão.

Comments (1) »

Rosas e Espinhos

 No último dia 26, tive a felicidade de participar, no Clube Atlético Juventus, da cerimônia de entrega do certificado de conclusão do curso de Pedagogia da Universidade São Judas Tadeu. Foi maravilhoso rever amigos e professores. Quanto ao certificado, só aqueles que conhecem a minha história de luta para chegar até aqui, é que são capazes de entender o significado que ele tem para mim. Por outro lado, trazia naquele dia uma certa tristeza, pois na mesma semana havia perdido minha mãe. A morte, ainda que esperada, ou até desejada, não é muito fácil de ser encarada. Digo desejada, como no caso de minha mãe, porque ela sofria há mais de dez anos em uma cama, e nos últimos meses sua vida era como uma vela de chama bem fraquinha, e cada vez que o vento soprava ,nos causava uma angústia, nos levando a pensar se seria desta vez , ou não que a vela iria se apagar. Até que um dia a vela se apagou de vez, dando fim ao seu sofrimento e de toda a  família. Esteja aonde estiver, sei que ela deve estar muito orgulhosa por eu ter me formado professora e  poder ajudar   muitas pessoas a sair da  triste condição de analfabetismo.  Condição esta que conheceu e que a fez passar por muitos constrangimentos durante o decorrer de sua vida. 

Obrigada mamãe por todo amor e dedicaçção e por ter sido a fonte inspiradora que me fortaleceu nas horas dificeis desta  minha grande caminhada. 

Quando eu não mais existir…

 Quando eu não mais existir, procura-me nas flores, e eu serei o  perfume que delas exala.

Quando eu não mais existir, procura-me no amanhecer, e eu serei o sol que  nasce para aquecer a sua pele.

Quando eu não mais existir, procura-me  nas noites frias e eu serei o brisa que sopra seus cabelos.

Quando eu não mais existir, procura-me nas estrelas e eu serei  uma delas a brilhar,  iluminando teus caminhos.

Quando eu não mais existir, procura-me na chuva e eu serei os pingos a molhar  seu rosto.

Qunando eu não mais existir, procura-me no oceano e eu serei as ondas a  te fortalecer , dizendo como é infinito o meu amor por você.

poema para minha mãe——n.21/05/1928——f 20/03/2008 

Ana Granado

Comments (2) »

Acontece na área educacional

Oi pessoal, aqui vão algumas dicas de acontecimentos interessantes que podem ajudar no seu crescimento como professor e também facilitar o seu trabalho em sala de aula. Esperamos que participem e também nos mantenham informados sobre tudo que souberem que está ocorrendo na area educacional: cursos, eventos, palestras, concursos, etc.

  • No dia 9 de abril haverá palestra, com a professora Monica, sobre educação infantil, ás dezenove horas, na Universidade são Judas.
  • De 16/3 a 22/6 haverá a feira de troca de livros e gibis. ótima oportunidade  incentivar os á leitura. No dia 13 a feira será no parque do carmo e no dia 27, no parque Chico Mendes. aproveite!
  • De 24 a 27 de abril estará acontecendo a REA TECH ,( feira internacional de tecnologias em reabilitaçção, inclusão e acessibilidade). também é ótima para aprendermos mais sobre os portadores de necessidades educacionais especiais, seus direitos, suas limitações, e sobre o que há de novo para facilitar o trabalho pedagógico, junto a eles. É imperdivel A entrada é franca. o evento será no centro de exposições Imigrantes. KM 1,5.

Leave a comment »