Archive for agosto 25, 2007

Como aprendemos com as vivências dos alunos…

Em uma aula de matemática, ao apresentar a grafia numérica (para sanar algumas dificuldades diagnosticadas na avaliação) me deparei com um depoimento das alunas.

Duas senhoras, alunas, contaram que sempre tiveram um marido que fizesse tudo em casa: compras, banco, trabalho… Faziam tantas coisas que elas não tinham mais nada a fazer e a única coisa que sobrava era a educação dos filhos.

Os maridos faleceram e deixaram um vazio imenso na vida dessas duas senhoras que, emocionadas, falaram de como foi difícil aceitar a perda e sobreviver sem a ajuda de todos os dias…

Para levantar a auto-estima das alunas, que nesse momento estavam muito emocionadas, argumentei sobre o importante papel que tiveram na educação dos seus filhos e, hoje são pessoas íntegras, já que os maridos eram responsáveis por outras tarefas.

Mas, será que a educação dos filhos era pouco para elas? Será que as senhoras não tinham dividido obrigações familiares e estavam, sim, cumprindo com seu papel na família?

Sim, eu acredito que elas tiveram uma importante e valiosa presença na vida familiar! Essa importância não foi visível como as tarefas que os maridos exerciam e, enquanto pensaram muito nos filhos, deixaram suas vidas e hoje, apesar do conhecimento de vida que têm, possuem muitas dificuldades na escrita, leitura e operações…

Seus filhos foram orientados por elas e desenvolveram seu caráter graças à mãe e ao pai que juntos, mesmo com divisões de tarefas, trabalharam para uma formação ideal.

Todo relato que ouvi me fez pensar na minha família, por isso contei à elas que meus pais são assim… em casa eles possuem diferentes tarefas e, meu pai, um excelente marido, realiza muitas atividades: compras, banco… a minha mãe fica de fora dessas responsabilidades.

Hoje em dia, os maridos dividem responsabilidades com as mulheres em casa ,pois os dois precisam dividir as despesas, diferente de antigamente, que mulheres podiam se restringir a educação dos filhos.

Me senti grata em ter uma família, pois meu pai faz de tudo para a minha mãe pensando em uma melhor educação para os filhos, como no relato da aluna.

Quando um falta, acaba tudo, pois a divisão é tão exata que sempre existirá um vazio…

Outra coisa que minhas alunas fizeram todos pensar foi: é importante valorizar as pessoas que amamos no momento que estão presentes e dizer sempre o quanto elas são importantes na nossa vida!

Sou grata pela família que tenho!

Abrigada, alunas, pela lição de vida!

collage.jpg

Luciana Raspa.

Comments (3) »